Painel 2012

O bibliotecário e sua ressignificação (necessária?): impactos da tecnologia e da inovação no contexto sócio-político.

Nas primeiras décadas do Século XXI, as tecnologias de comunicação e recuperação de informação digital entraram definitivamente no cotidiano do povo brasileiro. Há a popularização notebooks, o barateamento dos tablets e dos celulares com tela de toque sensível que permitem acesso irrestrito à web. O jornalismo impresso enfraquece enquanto  a  troca  de  informações  pelas  redes sociais conecta os povos do mundo de forma nunca antes vista. Em países do hemisfério norte, os e-books ganham força. Paradoxalmente, sabemos que as bibliotecas de alguns países desenvolvidos (com seus imensos acervos impressos) são cada vez mais utilizadas.

No Brasil, a lei federal 12.244 de 24 de maio de 2010 impôs a universalização das bibliotecas em instituições de ensino. Por conseguinte, a oferta no mercado de trabalho para os bibliotecários aumentará exponencialmente. Mas, enquanto os campos de atuação para este profissional se expandem, há um esvaziamento das tradicionais organizações de luta pela profissão, enfraquecendo no humano seu contexto político, que segundo Demo (2002)1 é o que permite ao homem a intervenção na realidade através da reconstrução permanente do conhecimento.  Membros da comunidade bibliotecária catarinense se veem em volta em discussões sobre a perpetuação de suas práticas de trabalho e dos campos de atuação profissional. O fazer e o pensar do bibliotecário estão propiciando medidas inovadoras na área?

A temática proposta instigará os participantes a analisar a relação entre suas práticas profissionais com a tecnologia, a ética, o movimento social de classe e a formação profissional no contexto sócio-político do bibliotecário. Portanto, pensar na atuação do bibliotecário e no seu papel social implica em compreender, (re)significar e desenvolver seu exercício profissional de forma a contruibuir para a construção de uma sociedade mais justa e  igualitária.

Além de palestras e conferências, o evento possibilitará a ampliação dos debates através da apresentação de trabalhos e mesas redondas com a participação efetiva do público presente. Por meio destas estratégias, espera-se não apenas possibilitar o compartilhamento de ideias e conhecimento, mas também compor um retrato da Biblioteconomia em Santa Catarina, sob o ponto de vista de sua atuação diante do universo tecnológico da informação na sociedade contemporânea.

Anúncios